quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Ternura - Augusta Campos


(Tela de Neiva Passuello)
.
.
.
Não sei mais onde ficou impressa
a minha forma,
nas areias da praia,
porque o vento da noite
ocultou nosso segredo.
Sei apenas
que ficou em mim
aquela paz enluarada
que havia sobre tua cabeça
quando abri os olhos.
..

2 comentários:

Maurélio disse...

Que lindo o que escrevestes Renata,um texto cheio de ternura e essência.
Beijos querida amiga

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Lindo! como tudo por aqui.
Abraços