quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Ah, um Soneto ... - Álvaro de Campos

(Tela de John Duncan)
.
.
Meu coração é um almirante louco
que abandonou a profissão do mar
e que a vai relembrando pouco a pouco
em casa a passear, a passear...
.
No movimento (eu mesmo me desloco
nesta cadeira, só de o imaginar)
o mar abandonado fica em foco
nos músculos cansados de parar.
.
Há saudades nas pernas e nos braços.
Há saudades no cérebro por fora.
Há grandes raivas feitas de cansaços.
.
Mas - esta é boa! - era do coração
que eu falva...e onde diabo estou eu agora
com almirante em vez de sensação?...
.

Um comentário:

eva disse...

Os textos são escolhidos com imenso gosto mas as imagens são escolhidas também com uma sensibilidade tão grande que são, só por si, outro post para não dizer outro blog.
Bom fim-de-semana!