terça-feira, 13 de maio de 2008

Traduzir-se - Ferreira Gullar


(Tela de Di Cavalcanti)
.
.
Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.
.
Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.
.
Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.
.
Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.
.
Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.
.
Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.
.
Traduzir uma parte
na outra parte
que é uma questão
de vida ou morte —
será arte?
.

2 comentários:

Daniel Rodrigues disse...

Gullar é inconfundível. Beijo para você moça bonita!

Rose Tunala disse...

Olá Renata, Seu blog está lindíssimo, nota-se que você é uma mulher de muito bom gosto e sensibilidade. ***Beijos e umlindo dia a você***