terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Nuances




Seus versos,


verdadeiras nuances,


abriram-me os olhos


para as cores da poesia


que nasce na fímbria do papel


e torna-se intrasponível


aos olhos dos que buscam


delicadeza e encanto.


(Tela de Visconti - A Carta)

Um comentário:

ana p roque disse...

Olá Renata,prazer em conhecer
teu Blog e sua bela poesia.

Abraço.

aPr