segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Lua - Manuel Bandeira


A proa reta abre no oceano

Um tumulto de espumas pampas.

Delas nascer parece a esteira

Do luar sobre as águas mansas.


O mar jaz como um céu tombado.

Ora é o céu que é um mar, onde a lua,

A só, silente louca emerge

Das ondas-nuvens toda nua.


Imagem retirada de focaaustral.blogger.com.br

Um comentário:

Dolores Quintão Jardim disse...

Olá Renata,vim agradecer tua visita ao meu blog,que na realidade é de meus amigos.Nele reuno tudo que me deixa feliz e me encanta a alma.

Passeei,por teu blog..é belo...muito belo..adorei.
Obrigada,por estes momentos!

Abração.
Dolores.